Mercado Imobiliário. Gênese. Capítulo I.

 In #descortinando, Empresarial, Imobiliário

Era uma vez um país chamado Mercado Imobiliário. Pujante, era uma das referências mundiais (Mundo Empreendedor) em crescimento. Nele, os povos conviviam e geravam riquezas. Eram loteadoras, incorporadoras, construtoras, imobiliárias, corretores, investidores, e muitos outros que, apesar das diferenças, juntos, prosperavam em Mercado Imobiliário.

Como em qualquer país, quando olhávamos esses povos um pouquinho mais de perto, víamos outras características: havia loteadoras limitadas, incorporadoras anônimas abertas, construtoras anônimas fechadas e familiares… Pra se identificarem melhor, essas tribos começaram a se apelidar com siglas: basicamente se dividiam em Ltda e S/A.

Nos primórdios, o mundo era mesmo quase dual. Poucas opções. Carros eram GM, VW ou Ford. Cerveja? Skol, Brahma ou Antarctica. E sociedades eram limitadas ou anônimas. Mas, contemporâneo aos carros chineses, coreanos, indianos e franceses; às cervejas artesanais de nomes complicados, despontaram em Mercado Imobiliário novos grupos populacionais. Afinal, estamos na Era da Variedade (se o Hobsbawm tivesse vivo, podia aproveitar a sugestão).

Passou a ser comum ouvir falar de SPEs, SCPs, Holdings, EIRELIs, dentre outros. Um dos clãs que se destacaram nessa nova era foi o das SPEs, as tais sociedades de propósito específico.

Esse ciclo de prosperidade em Mercado Imobiliário, contudo, foi interrompido por um desastre. Como um dilúvio, irrompeu a Crise Econômica que varreu as férteis planícies apinhadas de loteadoras, imobiliárias, construtoras e de algumas SPEs e SCPs. As que viveram os tempos de bonança como gafanhotos, muitas morreram; as que, à la formigas, prepararam-se financeiramente, organizaram-se juridicamente, muitas sobreviveram.

A água baixou. Apesar do cenário desolador, computados mortos e feridos, o tsunami trouxe uma oportunidade. Gafanhotos que sobreviveram podem aprender com a experiência; já os que vão reedificar o Mercado Imobiliário poderão começar de maneira organizada, estruturada em alicerces sólidos que não sejam levados nem derrubados pela próxima [inevitável] catástrofe.

Porém, construir alicerces sólidos não é simples; e os habitantes de Mercado Imobiliário sabem disso mais do que ninguém. É preciso conhecimento e experiência.

Como não gostamos nem um pouco de devastações em Mundo Empreendedor, procuraremos neste espaço – Descortinando: Mercado Imobiliário – dividir um pouco do conhecimento colhido pelo time MSLF nos muitos anos e casos de atuação nesse setor.

Depois desta Cosmogonia de Mercado Imobiliário, daqui a algumas semanas falaremos sobre as SPEs: Onde surgiram? Como nascem? O que fazem? Aguardem!

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search